CPCJ desafia fafenses a colocarem laço azul à janela

0
191

A Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Fafe está a desafiar os fafenses a fazerem um laço azul e colocarem no na janela de suas casas, de forma a assinalar o Mês da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância.

A data é todos os anos assinalada, em abril, com diversas iniciativas pela CPCJ de Fafe, em parceria com a restantes instituições com intervenção em matéria de infância e juventude do concelho, tendo em vista alertar a sociedade para este problema que atinge tantas crianças.

A CPCJ salienta que este ano, devido à situação pandémica, a realização de ações envolvendo grande número de pessoas

está impossibilitada, daí lançar o desafio simbólico à população de colocação de um laço azul à janela. A instituição desafia ainda os fafenses a fotografarem o laço e partilharem essa fotografia na página de facebook da CPCJ – Fafe.

O Município de Fafe informou que se vai associar na sensibilização para a causa, iluminando o edifício dos Paços do Concelho de azul. Para além da imagem alusiva ao tema, exposta na fachada do edifício da câmara, também nas redes sociais e site do município será feita uma campanha de sensibilização que alerta para os Direitos das Crianças.

Recorde-se que o laço azul surge ligado a esta temática depois de uma avó, Bonnie W. Finney, em 1989, na Virgínia, Estados Unidos da América, ter amarrado uma fita azul à antena do seu carro, para que as pessoas a questionassem e ela pudesse partilhar a história de maus tratos aos seus netos. “E porquê azul? Porque apesar de ser uma cor bonita, Bonnie Finney não queria esquecer os corpos batidos e cheios de nódoas negras dos seus dois netos. O azul servir-lhe-ia como um lembrete constante para a sua luta na proteção das crianças contra os maus tratos”, lembra a CPCJ.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here