Segunda-feira, Outubro 3, 2022
No menu items!
- Anúncio - spot_img
spot_img
InicioDesportoVOLTA A PORTUGAL: Monegasco Victor Langellotti gostou do empedrado de Fafe

VOLTA A PORTUGAL: Monegasco Victor Langellotti gostou do empedrado de Fafe

Praça 25 de Abril acolheu a chegada da 8ª etapa, que teve como partida Viana do Castelo e pôs os ciclistas à prova ao longo de 182,4 quilómetros.

Com muitas atenções centradas na luta pela Camisola Verde Rubis Gás, foi o monegasco Victor Langellotti que acabou por surpreender ao atacar a quatro quilómetros da meta, vencendo a oitava etapa da 83ª Volta a Portugal em bicicleta, que terminou hoje em Fafe.

“É único, estou super feliz e nunca vou esquecer. Foi um dia muito duro e a parte final era mesmo difícil. Quando vi a oportunidade arranquei e depois foi fazer um contrarrelógio até à meta. Foi uma loucura“, destacou Langellotti, depois de alcançar a primeira vitória como profissional.

“Desde o princípio da Volta a Portugal tentámos lutar por um triunfo, entrámos em fugas, tentámos ao sprint e, por fim, conseguimos. É o resultado do trabalho de todos os companheiros, da equipa”, referiu o vencedor sobre a procura da equipa espanhola Burgos-BH por um sucesso na corrida.

O corredor do Mónaco acelerou e resistiu à resposta de Maurício Moreira na reta empedrada da chegada ao centro de Fafe onde o uruguaio da Glassdrive-Q8-Anicolor foi segundo e Scott McGill (Wildlife Generation) terceiro com os primeiros 37 classificados cronometrados com o mesmo tempo, o que equivale dizer que a luta pela Camisola Amarela continua exatamente igual.

A faltarem duas etapas, a chegada à Senhora da Graça, já este domingo, e o contrarrelógio final, Frederico Figueiredo mantém sete segundos de vantagem sobre Moreira e Luís Fernandes (Rádio Popular-Paredes-Boavista) espreita o topo da classificação a 38 segundos tendo de apostar tudo na subida de Mondim de Basto se quiser acalentar ainda alguma esperança de ganhar a Volta.

A Segunda Etapa mais Longa

Após a partida em Viana do Castelo e com 182,4 quilómetros pela frente, sucederam-se muitas tentativas de fuga que aceleraram o ritmo da corrida. Só quase à centena de quilómetros houve alguma acalmia com a formação de uma frente composta por 11 homens onde estava João Matias (Tavfer-Mortágua-Ovos Matinados) que foi à procura de pontos para recuperar a Camisola Verde Rubis Gás, pertença do norte americano Scott McGill que optara por ficar no pelotão.

Matias ao vencer as metas volantes de Ponte da Barca e Póvoa do Lanhoso ficou provisoriamente à frente no duelo luso americano, mas era preciso esperar pela chegada a Fafe e terminar à frente de McGill, o que não aconteceu. Esgotado pela fuga, o português ficou para trás enquanto o americano, bem posicionado e desejando vencer a etapa, aguentou o ritmo e terminou na terceira posição, o que lhe confere vantagem, desde já, para ser o mais favorito para o triunfo por pontos nesta Volta. Matias foi apenas 76o.

Apesar do trabalho na fase final da Wildlife Generation, Caja Rural-Seguros RGA e Glassdrive-Q8-Anicolor, não foi possível apanhar um rápido Victor Langellotti que ao atacar ultrapassou o companheiro de equipa e último resistente da fuga, Óscar Pelegrí, e só parou na meta, em primeiro lugar.

Na cerimónia de pódio, em Fafe, os protagonistas foram os mesmos com exceção do vencedor de etapa. Coletivamente a Glassdrive-Q8-Anicolor continua a dominar, tem os dois primeiros lugares da Geral e, além da Camisola Amarela de Frederico Figueiredo, tem Maurício Moreira com a Camisola das Bolinhas Europcar, símbolo da Classificação da Montanha e também líder do Prémio Combinado Carclasse. Jokin Murguialday (Caja Rural- Seguros RGA) tem a Branca Jogos Santa Casa da Juventude.

Senhora da Graça na hora das decisões

A última etapa em linha antes do contrarrelógio final acontece este domingo. Dia de elevada dureza para o pelotão, com 174, 5 quilómetros, entre Paredes (partida às 12h20) e Mondim de Basto (Sra. da Graça), com chegada prevista para as 17h30.

Não será fácil encontrar metros planos na nona tirada. A subida ao Monte Farinha é uma primeira categoria, assim como na Serra do Marão (96,7 quilómetros) e Barreiro (133,4). Haverá ainda duas quartas categorias, uma logo aos 11,6 quilómetros e depois aos 112,1, no Velão. As metas volantes estarão em Paredes quando a corrida retornar ao município paredense (31,2), Amarante (66,8) e Mondim de Basto (162,8), antes da escalada final.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Jornal em PDF

Redes Sociais

10,000FansCurti
0SeguidoresSeguir
53SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever
- Anúncio - spot_img

Artigos Recentes