Quarta-feira, Maio 18, 2022
No menu items!
- Anúncio - spot_img
spot_img
InicioDestaquesLEGISLATIVAS: Bloco de Esquerda diz que "passadiços da Queimadela degradam a natureza...

LEGISLATIVAS: Bloco de Esquerda diz que “passadiços da Queimadela degradam a natureza e a paisagem”

Partido apoia remunicipalização dos serviços de água em Fafe.

Num dia de campanha eleitoral dedicado às questões ambientais, a comitiva distrital do Bloco de Esquerda esteve em Fafe, na última quarta-feira, de visita à Barragem de Queimadela, para conhecer a recente intervenção de prolongamento dos passadiços na margem da albufeira.

O deputado e cabeça-de-lista pelo círculo eleitoral de Braga, José Maria Cardoso, acompanhado pelo candidato de Fafe, Pedro Nogueira, alertou para os riscos que a artificialização da margem da albufeira acarretam para a preservação da natureza e da biodiversidade.

“Não podemos artificializar espaços naturais únicos, com elevado valor ecológico e paisagístico, causando impactes negativos na biodiversidade, só para ir atrás da moda do momento. É grave o que se fez na cascata, que é um símbolo, uma imagem típica da albufeira da Queimadela, ao se instalar na sua frente uma ponte metálica”, criticou José Maria Cardoso, citado em comunicado.

“Concordamos que por vezes é necessário criar condições para as pessoas fruírem da natureza, mas isso não passa obrigatoriamente pela criação de passadiços. Há aqui muitos espaços que não precisam de intervenção para serem fruídos, até porque já existiam caminhos pedonais que os serviam”, acrescenta.

O bloquista fafense Pedro Nogueira, que é 13º da lista por Braga, reforçou os alertas para a preservação da área envolvente à albufeira e espera que o presidente da câmara municipal corrija a situação.

Foto: BE

Por outro lado, na visita ao concelho, José Maria Cardoso salientou a importância da recente passagem dos serviços de abastecimento de água para a esfera pública.

Valorizo e saúdo a remunicipalização das águas no Município de Fafe. Desde sempre defendemos que a água, como bem essencial que é, não pode ser considerada uma mercadoria. Deve ser gerida com uma perspetiva de defesa do interesse público, de uma forma racional, e isso só é compatível quando existe um serviço público que faz essa gestão”, considerou.

O fafense Pedro Nogueira salientou a necessidade de os munícipes verem a sua conta da água reduzida.

“A água é muito importante para todos, toda a gente precisa de água, por isso é preciso baixar tarifas e não aumentar lucros. Um aumento da tarifa da água vai contra tudo o que estamos à espera com a remunicipalização do serviço, que tem de ser feita para melhorar a gestão, baixar tarifas e aplicar a tarifa social da água”, lembra.
ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Jornal em PDF

Redes Sociais

10,000FansCurti
0SeguidoresSeguir
54SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever
- Anúncio - spot_img

Artigos Recentes