Terça-feira, Outubro 19, 2021
No menu items!
- Anúncio - spot_imgspot_img
spot_img
InicioAutárquicas 2021AUTÁRQUICAS: "É um novo tempo que Fafe precisa" (PSD)

AUTÁRQUICAS: “É um novo tempo que Fafe precisa” (PSD)

Rui Novais da Silva é o candidato do PSD à Câmara de Fafe nestas eleições autárquicas. Em entrevista ao Expresso de Fafe, revelou o que o motiva a ser candidato, a avaliação que faz ao mandato que agora termina, o que pretende fazer de diferente, a sua visão sobre o futuro do concelho em algumas áreas e ainda as expectativas quanto ao resultado eleitoral.


 

  • O que o motiva nesta candidatura?

Sentirmos que em Fafe existe uma grande apatia em termos de ação política da parte da câmara municipal. Sentimos que há uma atitude que não é ativa, não é relevante, não é resiliente, que não tem uma energia e um rumo que possa dar aquilo que Fafe merece e que tem condições para ter. Há uma grande necessidade de invertermos todo este ciclo de perda populacional e apresentarmos um projeto político para Fafe que encontre mais prosperidade, seja mais exigente, numa postura aberta e junto da população. 

  • Como avalia o mandato que agora termina?

câmara está completamente desorientada, dá para perceber isso em várias áreas. Não conseguimos enquanto cidadãos ter perceção de qual é a visão que tem, a que patamar quer chegar. Não há uma missão determinada. Se a grande bandeira foi a questão da reconstrução do Bairro da Cumieira, então foi um fracasso, nem nisso foi organizada. Se foi a aposta nos apoios sociais, não há regulamentos. É preciso transparência e não há atualmente. Foi um mandato para cumprir e não para fazer algo pela terra e pelos seus concidadãos. Ficam a perder os fafenses.

  • Que prioridades define e o que acredita que o diferencia?

Em todas as ações da câmara nunca houve uma auscultação aos principais intervenientes. Esta é uma câmara completamente isolada nos Paços do Concelho e nós queremos o contrário. Queremos trabalhar em constante sintonia com as nossas instituições. O PSD apresenta um programa político composto por 100 propostas que achamos pertinentes e resultam da auscultação que fizemos às pessoas. Só assim se consegue tomar melhores medidas e atingir aquele que é o grande objetivo: promover a felicidade aos seus concidadãos.

 

  • VISÃO SOBRE O FUTURO DO CONCELHO

  • Economia e Emprego

Para além das questões fiscais, que devemos repensar, vamos fazer o que já defendemos há muito tempo: promover o empreendedorismo, criar uma encubadora de empresas, para que tenham todo o apoio na criação do seu próprio emprego. Depois, que haja um constante auxílio às empresas. Temos de criar ferramentas para que a câmara seja eficiente a dar resposta às necessidades dos empresários e comerciantes. E aqui entra o processo de desburocratização, através da componente tecnológica.

  • Saneamento e distribuição de água

Osaneamento é um problema já identificado há muito, e o que foi feito? Esse é o exemplo do retrato da governação socialista. Já existiram fundos para serem aplicados. É preciso definir objetivos. Toda a questão ambiental é importante e temos um bom momento não só com o PRR como o Horizonte Europa, outro financiamento para questões do ambiente. Depois, nada justifica que uma terra como Fafe tenha um preço da água mais caro que o Porto. Tem de haver uma gestão criteriosa da empresa municipal para conseguir a redução da tarifa.

  • Ação Social

Temos de ir à base. Creches gratuitas para todas as crianças. Temos de precaver o futuro e para isso responder às verdadeiras necessidades. Quanto à atribuição de subsídios, é preciso haver regulamentos, transparência. Criar vários programas direcionados para o apoio às pessoas, nomeadamente aos mais carenciados, mas ao mesmo tempo apoiar as próprias instituições de cariz social. A câmara deve servir a comunidade de forma eficiente e isso é ir onde o estado não consegue alcançar. Não deve duplicar o apoio que o Estado dá, mas substituir onde o Estado não dá.

  • Turismo/Cultura

Queremos abrir a cultura, não perdermos esta questão das nossas raízes. Incentivar e incutir através das escolas esta dinâmica mais tradicional. As agendas culturais serão uma realidade. Todas as forças vivas em Fafe devem trabalhar em sintonia. Não é a lógica da competitividade, mas da solidariedade. No turismo, temos as paisagens e a natureza, é preciso revitalizar os espaços verdes, desde o rio Vizela ao parque da cidade, mas temos de ser mais ambiciosos. É preciso criar dinâmicas. Por exemplo, a estátua da Justiça de Fafe para mim a questão não é o local, é criar atração.

  • Qual a expectativa quanto ao resultado eleitoral?

O que para nós será um resultado positivo é o de ser superior ao que tivemos há 4 anos. Esse é o primeiro passo que definimos. Há aqui a questão da diminuição do número de vereadores, mas temos a expectativa de eleger dois. Sentimos muita energia na nossa candidatura e capacidade de agregar cada vez mais pessoas.Acho que o PSD vai ter um resultado saudável.

  • Um mensagem ao eleitorado fafense.

“O futuro começa agora”. Que os fafenses façam esta análise. Fafe precisa de novos horizontes, de se abrir à sociedade e de se transformar. Este é o momento ideal, porque está em causa o Plano de Recuperação e Resiliência. O nosso plano está todo enquadrado nas áreas que estão determinadas de atribuição dos fundos comunitários. Fafe precisa de uma estratégia e o PSD apresentou o seu programa. Os fafenses têm a oportunidade de fazer esta transformação. É um novo tempo que Fafe precisa, com uma candidatura jovem, arrojada, competente e preparada para os próximos anos que aí vêm. 

 

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Jornal em PDF

Redes Sociais

10,000FansCurti
0SeguidoresSeguir
54SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever
- Anúncio - spot_img

Artigos Recentes