Sexta-feira, Maio 24, 2024
No menu items!
- Anúncio - spot_imgspot_img
spot_img
InícioDestaquesPSD reage:"Se é preciso levantar a voz contra o aterro em Fafe,...

PSD reage:”Se é preciso levantar a voz contra o aterro em Fafe, o PS vai ouvir a ‘vozeria’ do PSD”

O PSD de Fafe reagiu, esta quarta-feira, ao comunicado do Partido Socialista que acusava os sociais-democratas de utilizarem o tema da possível instalação de um aterro sanitário no concelho com “alarmismo” e de forma “populista”.

Em conferência de imprensa, o líder do PSD, Rui Novais da Silva, lamentou que o Secretariado do Partido Socialista tenha “acordado” para o assunto, “depois de um longo sono e ausência”, “vociferando contra o PSD de Fafe”, e considerou que apelidar a sua atuação de “populista” deve-se “à falta de melhor argumento”.

“O PSD fez tocar os alarmes para o problema do aterro. Isso é verdade. Mas se o não fizesse, os fafenses só saberiam da instalação do aterro no dia em que sentissem os efeitos nefastos para o ambiente e qualidade de vida dos cidadãos da sua instalação”, referiu o social-democrata.

Rui Novais da Silva critica a “justificação conformista e conformada” do PS de que “um acordo com mais de 20 anos nos prende ao fatalismo de termos um aterro em Fafe”. Sublinha ainda que a citação do PSD publicada nos cartazes que despoletaram a reação em comunicado do PS representa o inverso disso mesmo: “inconformismo, luta e ânimo na defesa dos interesses do concelho”.

Se ser populista para o PS Fafe é estar com o povo, o PSD é e será sempre “populista”. Se ser alarmista para o PS Fafe é mobilizar os fafenses para combater a instalação do aterro em Fafe, o PSD é e será sempre “alarmista”Se é preciso levantar a voz contra o aterro em Fafe, o PS Fafe vai ouvir a “vozeria” do PSD de Fafe, e certamente de muitos milhares de fafenses, nesse efetivo combate”, vincou.

O líder dos sociais-democratas garantiu que a oposição do PSD será sempre “responsável, interventiva e coerente” e “competente na denúncia de uma atitude de inércia do Presidente da Câmara de Fafe”, a quem acusam uma vez mais de “incompetência e inabilidade na defesa dos interesses do concelho da Fafe”.

Recorde-se que o assunto do aterro motivou, na última reunião da assembleia municipal, a apresentação de uma moção de censura ao presidente da câmara, por parte do PSD, Fafe Sempre e Chega, devido ao que consideram “falta de transparência” na informação prestada. Na ocasião, Antero Barbosa rejeitou esconder informação, garantindo estar disponível para um debate sobre o assunto e dando nota das diligências já tomadas, desde reuniões com o ministro do Ambiente e secretário de estado, contactos com a Resinorte, visita à Lipor e procura junto da CIM de assessoria técnica e jurídica.

Em reação aos outdoors do PSD — com a citação “Discordamos da instalação do aterro em Fafe e vamos combatê-la” — o PS emitiu um comunicado, onde acusa os sociais-democratas de se aproveitarem do tema para “se fazerem notar junto da população”, garantindo que está a ser feito “um trabalho empenhado a favor da nossa terra”, e que a decisão em definitivo da existência ou não de aterro não será tomada sem que “se coloquem em cima da mesa, para decisão da administração central, todas as soluções”.

Do comunicado, o PSD salienta que “não desmente a mensagem do Presidente da Câmara de aceitação do aterro em Fafe”. Para o PSD, o mesmo é “expressão de falta de ânimo na defesa dos interesses do concelho” e “agressão gratuita ao PSD Fafe e aos fafenses que apoiam a iniciativa de lutar contra a instalação no concelho de um aterro sanitário”. “Este comunicado do PS Fafe, representa, ele sim, a verdadeira falta de ligação entre PS Fafe e a realidade do concelho e, sobretudo, a vontade dos fafenses”, referem, acusando-os de estarem “inelutavelmente, ao serviço daqueles que querem a instalação do aterro em Fafe”.

Na conferência de imprensa, Rui Novais da Silva disse acreditar que é possível encontrar soluções e que PS e PSD podem estar lado lado, mas não “sem qualquer tipo de esclarecimento, resposta, ou a basear-se em factos que se passaram há 20 anos, que é o único argumento que temos ouvido”. Para o PSD, a questão “não merece recato”, sendo necessário “comunicar e esclarecer sobre o assunto”.

- Anúncio -spot_img
ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Jornal em PDF

Redes Sociais

10,000FãsCurtir
0SeguidoresSeguir
55SeguidoresSeguir
0InscritosInscrever

Artigos Recentes